20 setembro, 2016

A POLÍTICA EM ARARANGUÁ - SUL DE SC: PARTE I /// APENAS UMA BREVE DECEPÇÃO COM OS RESULTADOS DAS PARALIMPÍADAS 2016

Cidadania Ambiental

Araranguá SC, 21 de Setembro de 2016
(48 / 9985.0053 Vivo)

Ao nosso modo, com outro olhar e outra atitude, estamos fazendo e registrando a história socioambiental de Araranguá e Região Sul de Santa Catarina. Participe também, seja nossa parceira/o nesta voluntária empreitada em defesa da natureza e de uma melhor qualidade de vida para toda população.
OBS. Lembrando que o simples ato de recomendar, comentar ou divulgar a leitura destas mensagens ou do blog a outras pessoas já é uma atitude ecologicamente correta!

‘’AQUI O MEIO AMBIENTE É TRATADO COM SERIEDADE, INDEPENDÊNCIA E ÉTICA!
BUSCAMOS DE FORMA ESTRITAMENTE VOLUNTÁRIA O EQUILÍBRIO ECOLÓGICO,
POR ISSO COMBATEMOS QUALQUER TIPO DE RADICALISMO OU EXTREMISMO’’

(Publicado também no jornal O TEMPO DIÁRIO e no site da CONTATO, no FACEBOOK, além da publicação do link SOCIOAMBIENTALISMO em vários outros sites e blogs)


A POLÍTICA EM ARARANGUÁ – Parte I

(APENAS UMA BREVE CONCEPÇÃO SOBRE ‘’O ARARANGUÁ QUE DEPENDE DA GESTÃO DOS FUTUROS ADMINISTRADORES, SEJA DO EXECUTIVO OU DO LEGISLATIVO’’, NÃO INCLUO O JUDICIÁRIO PORQUE RECEIO...!!!)


Alguns anos atrás escrevi um pequeno artigo onde visualizava um futuro melhor para Araranguá, com a perspectiva de possuir a Duplicação da Rodovia BR-101 e o respectivo contorno concluído, com a implantação do campus da UFSC e do IFSC e o sistema de coleta e tratamento de esgoto em todo o município. Como foi publicado em uma data antes do período eleitoral, um dos candidatos entendeu que eu estava fazendo propaganda eleitoral extemporânea e entrou com uma ação na Justiça Eleitoral. 
Fui condenado com uma expressiva multa emitida pela Justiça Eleitoral, mesmo não sendo político ou mesmo partidário!

Apenas usei dos meus direitos constitucionais, como Cidadão, de expressar minha opinião a respeito de avanços do território em que adotei para viver! 
Volto a abordar a mesma preocupação com este município que me concedeu o título de ‘’Cidadão Araranguaense em 2004’’, por acreditar que devo buscar e lutar por aquilo em que acredito, ou seja, o direito da livre expressão em apontar os avanços democráticos para a preservação dos ecossistemas e o adequado uso pela população de forma que garanta não apenas a sua subsistência, mas também a sobrevivência das futuras gerações!

Defendo uma doutrina que acredita que o bem estar da sociedade não está apenas no desenvolvimento, mas na qualidade de vida das pessoas, seja na saúde, na educação, na segurança e no meio ambiente equilibrado, que o desenho do ‘’Socialismo’’ se apresenta como a solução mais sustentável e com menos injustiça social. 

Discordo com a ‘’ganância infecciosa’’ tão bem definida e apontada pelo próprio Allan Greenspan quando presidente do FED/EUA, que configura/representa o extremo do capitalismo selvagem e violento em quase todo o Planeta, como também discordo frontalmente com as radicais ditaduras comunistas, como Stalin na União Soviética e Castro em Cuba, por exemplo, não esquecendo a ditadura do louco Hugo Chaves, na Venezuela entre outras por este mundo afora...

Não quero aqui apontar nenhuma mágica solução, até porque não sou especialista no assunto e, mesmo que o fosse, deveria calar-me tamanha a complexidade do tema, mas, porém, todavia, contudo, insistirei em temas que se relacionam aos ecossistemas do município de Araranguá, como a urgente elaboração de um diagnóstico dos seus conflitos/problemas e das potencialidades do território Araranguaense, para nortear as ações e atitudes mais adequadas, política e ecologicamente corretas!

...volto a mencionar e cobrar do meu amigo Ernani Palma Ribeiro Filho e dos demais candidatos ao legislativo municipal, como a Sayonara Araujo Pessoa, o Igor Batista Gomes, o Veraldo Francisco Garcia e ao Sergio Hipolito (que ainda não sabia que era candidato), a devida atuação no legislativo em relação ao Plano Diretor/Estatuto das Cidades/Conselho das Cidades, ao Projeto Orla/Gerenciamento Costeiro, ao Plano de Bacias do Comitê/CGBHRA, a criação das Unidades de Conservação UC, a despoluição do Rio Araranguá e a conservação do sistema lagunar, a intolerável e incômoda poluição sonora e...
Tadêu Santos

APENAS UMA BREVE DECEPÇÃO COM OS RESULTADOS DAS PARALIMPÍADAS 2016.

              Apeguei-me com as competições desta Paralimpíada no Rio, do qual procurei assistir e acompanhar as informações/dados e compará-las com a de 2012 em Londres. Desde a abertura até o encerramento com Hino Nacional sendo cantado pelo autista Saulo Laucas, o artista que usava a leitura com as mãos para os surdos sentirem o batuque das músicas e o músico que tocou guitarra com os dedos dos pés complementando com o atleta Daniel Dias que ganhou 9 medalhas, herói, humano, campeão, portanto muito mais craque que o abobado Neymar, uma farsa criada pela mídia brasileira com patrocínios bilionários, valorizando um trapaceiro, oportunista, falso atleta que faz mal para o Brasil!!!

A motivação do Comitê Olímpico Brasileiro COB em tentar obter a meta de chegar em 5º lugar prevaleceu um bom período, mas quando a ausência da Rússia passou a beneficiar outros países como a Austrália, Alemanha e Holanda, a gente cai na real que o Brasil precisa investir mais nos esportes paralímpicos e olímpicos. Chega de achar que somos apenas o país do futebol e do carnaval. 
   
Eu prefiro as 71 medalhas do Rio que as 42 de Londres mesmo ocupando uma colocação inferior, porque deu oportunidade a mais atletas, motivando ainda mais o engajamento, inclusive de obter com mais facilidade a adaptação de próteses e outros avanços tecnológicos que permitem mais conforto a quem possui deficiência ou dificuldade.    
OBS. Novamente a TV Globo perdeu a oportunidade de transmitir o encerramento das Paralimpíadas, um evento único de conotação mundial para exibir o Faustão...!!!


Retrato aqui trecho da matéria abaixo publicada no G1:  Com rivais mais diretos na briga por posições do quadro de medalhas, houve também quem se aproveitasse da ausência da Rússia, banida pelo Comitê Paralímpico Internacional  (IPC). Segundo avaliação do CPB, o Brasil não herdou nenhuma medalha que teoricamente seria dos russos.
- Ainda vamos avaliar melhor, mas temos a impressão que Austrália e Alemanha se beneficiaram com a saída dos russos. Na natação, a gente foi surpreendido com atletas vindo do nada e ganhando. Isso nos surpreendeu e fez com que não tivéssemos a base de dados mais confiável possível, a gente teria feito uma revisão da meta. Também deixamos de ganhar medalhas. O goalball, por exemplo, foi ouro no Mundial e aqui não repetiu. Eram casos específicos que apontavam para cima, mas aqui não se repetiram. E muitos países cresceram. O Mateus (Evangelista) quebrou recorde mundial, aí o chinês quebrou na mesma prova (salto em distância). É a evolução do esporte - disse Parsons.